Como é ser mãe de cachorro

Lembro-me como se fosse hoje…
Em 14 de Agosto de 2015, uma terça-feira, 16h30, estava no escritório da empresa e não tinha o hábito de acessar as redes sociais, mesmo por que não era tão usuária como hoje.

Havia passado um período muito triste em minha vida, pois primeiro perdi minha amada mãe, amiga, companheira, confidente, carinhosa e tudo mais que uma mãe possa ser em sua vida. Dois meses depois, meu fiel escudeiro Lucky Star Walks, um Poodle de 18 anos de “cãopanheirismo” também resolveu me deixar, fazendo com que a dor fosse suportada em dose cavalar .

Sempre fui de usar a seguinte frase “ Em minha vida primeiramente o meu Deus, segundo minha mãe e terceiro o Lucky”. Algumas pessoas não entendiam e outras não aceitavam o fato de um animal estar no lugar de um ser humano! No começo eu até perdia tempo de explicar, depois entendi que eu não tinha que dar explicação a mais ninguém: Passei a dor da perda ,da solidão, me via dentro da minha casa com um enorme eco dos meus próprios soluços e de um coração vazio quase sem esperança para qualquer coisa. Porém, minha mãe sempre me ensinou ter fé e acreditar com paciência em Deus, pois Ele nunca nos desampara e sempre nos conforta quando mais precisamos, e trago essa experiência até hoje em minha vida.

No início prometi que nunca mais queria outro peludo de quatro patas, pois sofremos demais quando eles partem. Então os amigos diziam: tudo nos faz sofrer, não só os que partem, mas muitos que estão ao nosso lado! E eles tinham pura razão. Havia passado dois anos e a vontade de ter um filhote crescia dentro de mim até que um dia eu disse para uma amiga que fazia trabalhos voluntários para Ong’s: “Denise, estou pensando seriamente em pegar um filhotinho de quatro patas”.

Ela, mais que depressa, começou a compartilhar comigo em média de dez cachorros por dia na rede social e dizia: “olha Me, esse está para adoção” . E assim foram dias até que eu dissesse a ela: “não é assim, tem que dá um tcham ”.
Passado uns dias sem a Denise na minha cabeça, comecei a deixar nas mãos de Deus e pedi que se fosse da vontade de d’Ele, que me concedesse sua graça, até que numa terça-feira, já quase para irmos embora num dia tranquilo, acesso a página da minha rede social e o que eu vejo estampado logo de cara: “adoção responsável e definitiva, terá que preencher um questionário e assinar um termo de responsabilidade, os interessados favor chamar inbox. Observação, as inscrições se encerrarão hoje às 20h00. ”


  Sophia C

 

Sophia

 

AMOR À PRIMEIRA VISTA! AMEI, LUTEI, GRITEI, CHOREI, CLAMEI,ME APEGUEI, ME SEGUREI
E SENTI TAMANHA FORÇA DENTRO DAS MINHAS ENTRANHAS, QUE DISSE AO MEU DEUS COM
A MINHA FÉ “ PAI, SE FOR DA TUA VONTADE ME CONCEDA E QUE TUDO DÊ CERTO”

“Não habitou meu ventre, mas mergulhou nas entranhas da minha alma.
Não foi plasmado do meu sangue, mas alimenta-se no néctar de meus sonhos.
Não é fruto de minha hereditariedade, mas molda-se no valor de meu caráter.”
“SE NÃO NASCEU DE MIM, CERTAMENTE NASCEU PARA MIM.”

Hoje, eu explico facilmente. Porém, em 16 horas eu engravidei, senti todas as alegrias, felicidades, desejos, ansiedades, palpitações, fiquei feito uma barata tonta, parece que me deu uma pane! Ufa! Até que respirei profundamente, fechei meus olhos e disse: “vamos agir”.
Imediatamente entrei em contato com a Sandra e pedi o questionário. Ela foi muito atenciosa, porém, muito realista e já foi me dizendo: “Meire, não quero te desanimar, mas já tenho 200 pessoas na fila e dentre elas, sessenta eu já selecionei e duas delas preenchem os requisitos ” .

Poderia ter dito muitas coisas à ela, mas o silêncio é sábio.

Ela me enviou o questionário por email e ali no escritório mesmo já o preenchi. Lembro-me de uma questão que perguntava: “Se você for passear, fazer uma viagem de um final de semana onde você deixaria a Lia? ” (Até então o nome dela era Lia).
Eu, mais que depressa respondi: “Ela irá comigo, pois estou pegando uma filha para criar. A única diferença é que ela tem pêlos e quatro patas e aonde eu for ela estará comigo”.

Era 18h30, estava dentro do prazo estipulado por ela. Na segunda folha havia mais duas perguntas e assinatura logo abaixo. Imprimi, assinei, digitalizei e logo após enviar à ela por e-mail já mandei uma mensagem perguntando se havia recebido o questionário.

Então começaram as contrações, ânsias, sudorese, horas com a pressão alta e horas com a pressão baixa, além de falta de apetite, andava de um lado pro outro, até que às 20h00 do dia seguinte, já havia encaminhado milhares de vezes o mesmo e-mail para Sandra e ela não os recebia, e sentia que a ´´bolsa já havia estourado, que estava com dilatação para sair um elefantinho´´ .Tentei enviar de todas as maneiras o e-mail para Sandra, pedi que verificasse o lixo eletrônico, mas ela não recebia! Me disse que precisava receber até a próxima manhã o questionário, senão teria que publicar a adoção da Lia.

Passei a noite com milhões de perguntas, até que Deus me consolou e me disse: ´´Filha, o que pediu para mim? Nem tudo na vida tem que ser fácil, acalma teu coração e o que é teu está guardado´´. Sei que dormi e acordei às 07h20 com o toque do celular e assustada com a mensagem dizia: ´´Necessito urgente do questionário´´. Respondi imediatamente: ´´Sandra, bom dia, só te peço um enorme favor, às 8h00 chegará um funcionário e pedirei para que ele envie do e-mail dele para você, espere mais um pouquinho POR FAVOR!´´

Faltava meia hora para a cesariana e o funcionário chegou, enviou o email e finalmente Sandra recebeu. Ufaaa! Esperei uns cinco minutos e perguntei: ´´ posso te ligar´´? Ela respondeu que SIM e pensei: agora nasce! Ela perguntou se eu estava preparada e respondi disse que sempre estou preparada para o não, por que se for sim estou no lucro. E então ela respondeu: PODE VIR BUSCAR, A LIA É SUA!

Eu chorava, sorria, tremia, pulava e agradecia! Era tudo isso e muito mais!
Era a Sophia se alimentando do néctar do meu sonho e da benção de Deus me alimentando.
Neste mesmo dia chamei Denise e a Marcia e fomos para Barueri busca-la. O meu coração sentiu SOPHIA, minha amada e bem vinda filha.

A pergunta que não quer calar: Por que “eu” ? Sandra explicou: ´´de todas as pessoas que me enviaram o questionário, nenhuma me chamou a atenção, pois separei sessenta pessoas, mas estava em um beco sem saída. Havia duas pessoas que eu estava balançada para doar, até que tentei a última jogada, postei na internet e você apareceu. O tempo que dei para você não foi em vão, pois acessei sua página de relacionamento e logo vi que você é uma pessoa muito alegre e que tem muitos amigos, adora cachorro e viagens e pedi a Deus que se tivesse que ser você, que Ele me desse uma resposta, e a resposta veio logo que postei pela ultima vez e você foi a primeira e última a preencher o questionário. Então eu encerrei e só esperei.´´

Enfim, ser mãe e admitir de coração e atitudes na frente de quem quer que seja que essa é a minha Filha SOPHIA CALEJAN e nasceu em 10 de Agosto de 2015. Recebe alimentação natural, água potável, água de coco, uma vez por dia danoninho, é de raça SRD, porém tem o meu caráter, é alegre, brincalhona e ´´trilheira´´ de carteirinha: já fizemos Rafting em Brotas e BOICÃO em Juquitiba, é nadadora nata, farejadora imperdoável e carinhosa ao extremo! E a resposta aquela pergunta do questionário é mais que verdade, pois onde eu vou minha filha SOPHIA está comigo!

Meire Calejan e Sophia

Meire e Sophia

Sophia Calejan Turismo Animal

Meire Calejan

No final do mês de abril ganhou um irmãozinho chamado BRAYANN, que completou dois meses, e tenho a certeza que estamos completando uma família linda e feliz com a graça de Deus!

Brayann Calejan

Meire, Sophia e Brayann

COMPARTILHE
clubinhopet