Dicas para interagir com cães tímidos

Nesses anos tive a oportunidade de trabalhar diversas vezes com cães tímidos e algumas vezes cães que demonstravam alguma leve agressividade por medo. Os casos mais extremos de stress e agressividade por medo sempre encaminho para um comportamentalista experiente e de confiança, mas aqui vão algumas dicas!

Iniciando uma relação de confiança com um cão tímido: Por mais tentador que seja se aproximar do cão e tentar acalmá-lo e ganhar sua confiança com palavras doces e carinhosas, essa em geral é a pior ideia possível. Por quê?

O cão precisa de algum tempo para reconhecer o novo espaço, as pessoas novas, cheiros, etc. E também por que, geralmente, somos uma criatura muito maior do que o cão e ao nos dirigirmos a ele falando, gesticulando e olhando nos seus olhos nos tornamos assustadores. No mundo canino, olhar diretamente nos olhos pode ser um desafio e um tanto intimidador.

O que eu prefiro fazer, dentro do Clubinho do Pet, é pedir para que o tutor dê um bom passeio com o cão antes de trazê-lo para que ele possa gastar energia, fazer suas necessidades e chegar mais relaxado. Peço sempre que solte o cão da guia enquanto converso com o tutor, e então casualmente me sento no chão, me tornando mais acessível caso o cão fiquei curioso e decida me cheirar mais de perto. Faço isso especialmente porque trabalhamos apenas com cães pequenos e “médios” (até 15kg). Nesse momento, ainda não falo com o cão nem olho diretamente pra ele, e vou buscando adquirir o máximo de informações possíveis com o tutor: como o cão se comporta com visitas em casa? E em passeios com outros cães e pessoas? Se frequenta algum cachorródromo e, em caso positivo, como se porta sem guia? Já frequentou outro daycare ou hotelzinho?

Ao sentir que o tutor está tranquilo naquele local e na minha presença, naturalmente o cão tende a ficar um pouco mais relaxado e aos poucos vai explorando o ambiente e se aproximando. Cães, assim como crianças, são bastante curiosos e ao perceberem que você não é uma ameaça se sentem bem tentados a se aproximar, especialmente se você tiver um brinquedo ou até mesmo um petisco nas mãos. Vale comentar que algumas vezes o stress do cão pode ser muito alto e nesses casos nem comida nem brinquedo vão ser atraentes.

Após essa avaliação inicial o cão vai iniciar um processo de adaptação na nossa matilha. Sempre pedimos que o novo membro da turma chegue bem cedo para ter tempo de cheirar o ambiente do daycare calmamente e para que possa ser apresentado um a um aos membros do grupo, sem ser sobrecarregado com estímulos e para podermos observar como ele reage a cada membro da matilha.

Nos primeiros dias um cão tímido tente a se isolar num canto que ele ache mais seguro e se afastar ao máximo possível das pessoas e/ou dos outros cães. Nesse momento, não force o cão a se aproximar ou participar das atividades, permita que ele tenha um tempo para observar o comportamento do grupo, ver com os outros cães se portam entre eles e com os humanos.

Não trate um cão tímido como coitadinho, não tente supor histórias tristes ou traumas, apenas respeite o temperamento dele.

Aos poucos o daycare se torna rotina para esse cão e cães amam rotina, amam saber o que vai acontecer em seguida, isso traz segurança.

Respeitar o espaço e o tempo do cão também não pode ser confundido com ´´esquecer dele´´ num canto, mas aos poucos você pode e deve buscar uma interação com ele, chamando-o pelo nome, elogiando sempre em que se aproximar e se mostrar interessado. Vá observando e aprendendo que tipo de estímulos ele reage bem: Passeios? Carinhos? Bolinha?

A adaptação no daycare é essencial para uma estadia tranquila no hotel e a estadia no nosso hotel cria e reforça laços de afeto e confiança entre o cão e nossa equipe. A rotina de passar dias juntos, dormindo juntos, passeando e nos horários das refeições  nos ajuda a criar uma boa referência para esse cão.

Temos aqui diversas histórias de sucesso, de cães que nos primeiros dias mal se moviam, encolhidos num canto e hoje em dia fazem festa ao chegar, brincam com outros cães, e amam vir passar uns dias aqui!

Depois de conquistar a confiança e amizade de um cão tímido e ajudá-lo a fazer parte da matilha, mantenha-se atento para qualquer sinal de desconforto, aprenda os sinais e limites do cão. Existem cães que não se sentem bem ao serem pegos no colo, então respeite isso, pois para esse cão, deitar-se próximo de você já é intimidade suficiente! Outros cães ainda se assustam com sons altos e repentinos, fique de olho e ajude-o a se sentir mais seguro sem exagerar na dose. Lembre-se: nada de coitadinho!

Acho que o resumo de como criar uma relação com cães tímidos e inseguros é paciência, observação, rotina, respeito e amor. Lembrando que, nesses casos, amor não é esmagar o bicho e ficar falando ´´guti guti nhem nhem nhem´´ sem parar.

Amor é respeitar a individualidade de cada ser e aceitá-lo ajudando-o a desenvolver seu potencial.

 

 

Andrea Behmer


Andrea Behmer

Gostaria de começar dizendo que não sou comportamentalista, sou cuidadora.
Me preparei para trabalhar com cães, estudei e estudo muito, sou adestradora formada pelos cursos iniciante e intermediário do excelente Dennis Martin. Frequentei também os cursos de Pet Sitter da My Pet’s Nany e os cursos de passeador e recreacionista da Dog Walker. Meus textos aqui serão sempre baseados em minhas experiências trabalhando a princípio como voluntária na causa animal, e paralelamente, como petsitter e passeadora. E, atualmente, há dois anos no Clubinho do Pet, inicialmente como Monitora, depois gerente do Daycare e hotel e hoje como sócia e coordenadora.

COMPARTILHE
clubinhopet